quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Despertar da Consciência

É importante salientar que neste processo existe uma série de complexidades que se não forem trabalhadas em suas partes por causa das nossas próprias limitações, ficariam quase impossíveis de se abordar de forma construtiva o contexto maior que é o conhecimento sobre o aspecto da nossa espiritualidade.

Para se falar sobre o despertar da consciência teremos que nos inteirar sobre um dos nossos órgãos sensoriais – o sexto - que é fundamental nesse processo: a intuição. Sem esse desenvolvimento seria o mesmo que pedir para alguém, a leitura de um livro com os olhos vendados.

Através desta percepção surgirá uma “voz silenciosa” que irá conduzir todo o processo individual do ser em sua busca interior e os passos que deverá seguir. Esta “voz” conhece toda a história da alma humana que estará supervisionando e orientando. E cada alma peregrina tem seu próprio ritmo, nível de evolução, frequência vibratória, experiências vividas em outras jornadas e, além disso, tem seu próprio “grupo” a qual está filiado espiritualmente.

Antes de prosseguir é necessária uma sequência de pontos para serem refletidos e entendidos por aqueles que desejam e querem alcançar o seu propósito. A ordem em si não é relevante e sim o empenho individual no conjunto de conhecimentos que poderá adquirir utilizando sempre o discernimento. Somente assim poderá dar cada passo com segurança.
Paciência é um exercício diário e constante, porque o corpo físico precisa estar equilibrado e o cérebro físico deve estar sempre receptivo às novas informações que virão da sua consciência interior. Cada fase será rica em aprendizado e o entendimento será alcançado com a compreensão de que estamos neste plano terrestre para aprender.

Humildade, sinceridade, intenção, desprendimento, persistência, confiança, fé e muita coragem, serão necessárias nesta caminhada. Uma mente aberta livre de preconceitos e crenças cristalizadas facilitam a quebra de paradigmas que ocorrerão com frequências inimagináveis. Nem tudo é um “mar de rosas!”

Expandindo a consciência

"A expansão da consciência é o atalho e o caminho mais rápido para o auto-conhecimento e a intuição é o farol que irá iluminar este caminho."

O que é então a expansão da consciência?
Antes de tudo é imprescindível que saibamos que a consciência é a própria alma. A Vida que sustenta um corpo físico - e todos os outros corpos sutis - é a Chama Trina e a parte que encarna num corpo para a experiência terrena, é a consciência fragmentada da alma, que se subdivide em consciências etérica, mental inferior, emocional e física, que se vestem respectivamente dos seguintes corpos nos mundos de manifestações: corpo etérico (memória), corpo mental inferior (pensamento), corpo emocional (sentimento) e o corpo físico (material).

A alma é uma fragmentação (pedaço) da sua consciência Superior - o Eu Superior - e é relativamente imortal. Digo relativamente imortal, porque a alma pode ter a sua "morte" decretada em dois casos distintos: primeiro, quando ela perde o domínio sobre todas as suas consciências inferiores - essas consciências perdem suas essências divinas e se apagam, tornando-se sombras (vampiros energéticos) - e não havendo resultados positivos (aprendizagens) e nem progresso espiritual, o Eu Superior extingue esta porção de sua consciência, que retorna para o "reservatório" universal, da mesma forma como se despejasse um pequeno copo de água no oceano.

A outra "morte" ocorre por efeito da Ascensão: quando a consciência da alma, através das suas partes inferiores, alcançam o despertar e a ascensão na Luz, conquista também, a sua liberdade. Ao ficar livre da roda da reencarnação, se eleva além dos mundos das experiências e aprendizados terrenos, desfazendo-se então, do corpo causal. Neste instante, a alma recebe um novo corpo, mais sutil - este sim, praticamente imortal, porque a evolução espiritual é contínua -, construída especialmente para ela, com todas as características adquiridas durante suas experiências de vida inseridas nela: como a beleza, a bondade e a verdade. É um radiante corpo, de indescritível beleza e Luz!

O conhecimento da estrutura e do funcionamento destes corpos - vestimentas da alma - facilita a compreensão do aspecto fragmentário das nossas consciências, a partir da sua parte Superior - o Eu Superior - que também é um fragmento de uma consciência muito maior e elevada. Cada "pedaço" desce de uma parte superior antecedente e se veste de um "veículo" cada vez mais inferior, de acordo com o mundo em que vai se expressar e se manifestar.

Eu costumo exemplificar isto da seguinte forma: é como se dentro de uma bexiga - aqueles balões que decoram as festas infantis - fossem colocadas outras bexigas, cada vez menores, uma dentro da outra, e cada uma se enchesse de ar. As fragmentações das consciências seriam mais ou menos assim e cada uma teria o seu envoltório independente e individual. Mas todas teriam o mesmo ar, e a mesma essência.

Quando falo sobre a Expansão da Consciência, estou me referindo justamente ao processo inverso do qual exemplifiquei através destas bexigas. Estando ciente de que cada uma dessas consciências possui seu conhecimento e sabedoria do mundo onde habita e que cada consciência superior contém uma experiência muito maior que a parte inferior, então, será lógica que quando houver uma conexão do fragmento inferior com a superior seguinte, se adquire através deste "duto" - canal, túnel, abertura, ponte, antena, etc. - todo o conhecimento e sabedoria desta consciência superior.

É como fazer um pequeno furo na sua bexiga menor, e forçar o ar a sair para a bexiga maior e se misturar nela. Só que este "ar" não perde a sua individualidade e se integra perfeitamente neste novo ambiente, porque a essência é a mesma, o ar é o mesmo. É assim que funciona o mecanismo da expansão da consciência. Através da respiração controlada, a inspiração do ar, ocasiona uma pressão sobre a sua consciência física (sente-se uma leve tonteira), fazendo com que ela saia pelo chackra coronário (duto) e penetre na sua consciência superior.

Sem o conhecimento dos diversos corpos sutis e suas funções, fica difícil e confuso, o processo da expansão da consciência, pois não poderá ocorrer um trabalho direcionado e produtivo, perdendo-se com isso, um grande aprendizado. Para cada trabalho específico há uma consciência correta para a atuação. E em cada dimensão há também, um corpo para manifestação.

A expansão da consciência é um processo de transferência da consciência física - o nível mais inferior - para as consciências superiores e, de forma totalmente consciente e desperta, pode-se fazer o deslocamento para qualquer um dos corpos sutis diretamente ou estar simultaneamente em todos os corpos de acordo com a própria vontade.

A lucidez e a nitidez de cada dimensão e, experiência vivenciada vai depender do grau evolutivo de cada consciência, porque acreditar e aceitar a "nova realidade" e a "nova verdade", também depende da quebra de paradigmas e velhos conceitos enraizados na mente física, que foi condicionada a negar sempre, estes mundos "invisíveis" e "intangíveis".

Para se alcançar todos os níveis mais elevados de consciências e entrar em contato com os mundos multidimensionais e os seres iluminados, é necessário que a atenção seja focada sempre na Chama Trina e, que o Amor Divino seja liberado espontaneamente do seu chackra cardíaco.
“Bata, e a porta ser-lhe a aberta!”... “Pede e lhe será dado!”


Fonte- Grupo consciencia